Ministro de Relacões Exteriores de Bangladesh visita Brasília

Shahriar Alam visitou Brasília no mês de julho e se encontrou como o Ministro Carlos Franca.



Na ocasião, a jornalista Fabiana Ceyhan entrevistou o Ministro de Relacões Exteriores na residência da Embaixadora Sadia Faizunnesa.



Como o senhor avalia as relações entre Brasil e Bangladesh. Devo dizer-lhe que eu mesma estive em Bangladesh em 2018 visitando o acampamento Rohingya. Se o senhor puder falar sobre isso, o que senhor espera do Brasil nesse caso também, por favor.

Obrigado. Quero dizer, nós, é claro, Bangladesh está em uma passagem no momento, acabamos de nos graduar do status de LDC para país de renda média. E este é o ano em particular em que Bangladesh está entregando os mega projetos que realizamos há 5 a 8 anos. Usina nuclear, túnel do metrô sob o rio, eletrificação 100% rural e obtendo realmente 100 zonas econômicas gradualmente.

Então, você sabe, Bangladesh está decolando . Nossa conectividade com a América Latina está na lista. Conectividade significa não apenas conectividade física de todas as pessoas, mas empresas. Depois de investir nisso ou estabelecer esta Embaixada de Bangladesh aqui, não tivemos esse plano com visitas de alto nível. Então esta é a primeira visita do Ministério das Relações Exteriores.

Espero que provavelmente haja uma pós-eleitoral porque, você sabe, o ano eleitoral é um ano desafiador, mas nossos negócios e crescimento aumentou mesmo assim. E esperamos dobrar esse volume de negócios de 2 bilhões para 4 bilhões nos próximos cinco anos. E o Brasil é um mercado fantástico. A recuperação pós-covid enfrenta agora um novo obstáculo em termos das consequências da guerra na Ucrânia. Mas estamos na mesma página. Nós concordamos e conversamos sobre a cooperação internacional em fóruns multilaterais, especialmente na ONU. Por isso, estamos buscando o apoio do Brasil para que Bangladesh possa trabalhar em estreita colaboração com o Mercosul como órgão regional de comércio.


Embaixadora Sadia Faizunnesa em seu discurso

Sobre o Mercosul

Você sabe, o Mercosul pode ser uma força muito forte. E para o Brasil, há incentivos suficientes. Bangladesh está entre os países asiáticos que estão crescendo. Bangladesh está crescendo mais rápido. Mesmo durante a pandemia, mantivemos um crescimento superior a 5%. Então isso é fenomenal. E Bangladesh está se tornando um mercado de 170 milhões de pessoas e muitos produtos agrícolas que compramos do Brasil. Nós precisamos mais deles. Então isso é incentivo do Brasil. E para Bangladesh, é um novo mercado. Então, o governo precisa lidar. Estou liderando uma delegação de negócios também e eles estão dialogando com seus colegas tentando encontrar novas oportunidades.